331 – A Maldição de Samantha (1986)

 

1986 / EUA / 91 min / Diretor: Wes Craven / Roteiro: Bruce Joel Rubin (baseado na obra de Diana Henstell) / Produção: Robert M. Sherman, Robert L. Crawford (Co-Produtor), Patrick Kelley (Produtor Executivo) / Elenco: Matthew Labyorteaux, Kristy Swanson, Michael Sharrett, Anne Twomey, Anne Ramsey, Richard Marcus

Acho que esse é o filme que mais demorei para assistir dentro da filmografia de Wes Craven, o diretor que perdermos em 2015.  É engraçado assistir esse filme e vendo que ele é dos anos 80. Isso porque essa década foi onde ele mais fez filmes memoráveis como “A Hora do Pesadelo”, “A Maldição dos Mortos-Vivos” e “Shocker – 100.000 Volts de Terror”.

Mas quando assisti, achei um filme muito bom e com umas pitadas de “Sessão da Tarde”, alias acho que ele poderia passar tranquilamente na Globo se não fosse por algumas cenas de gore e tal. A trama é muita aventura e parece com milhões de filmes que flertam com a tecnologia dos anos 80. Mas o que destoa é que tem o toque do Wes Craven e que deixa o filme bem mais interessante.

O interessante é que o filme não era para ter esse ar de “trasheira” e sim uma história voltada para o romance com mesclagem de ficção cientifica. “O roteiro ficou por conta de Bruce Joel Rubin que é responsável de “Ghost”,” Alucinações do Passado” e claro a copia de “Armagedon” que é “Impacto Profundo”. Então ele conseguiu se dar bem em vários pontos com esse roteiro muito mais muito inusitado para alguém do calibre do Craven.

Tudo foi para o ralo quando o estúdio, no caso a “Warner” achou melhor mudar toda a história e colocar a ficção junto com o terror e tentar deixar tudo mais sinistro, mas claro que erraram feio nesse quesito. A verdade é que o filme foi um grande fiasco, eles gastaram por volta de 11 milhões na produção toda e arrecadaram só 8,9 milhões.

O filme tem um foco em Paul (Matthew Labyorteaux) um garoto novo na cidade com um robô chamado”BB“. Ele se torna amigo de Samantha e os três têm muitos bons momentos juntos. Isso até o pai abusivo de Samantha (Kristy Swanson) atirá-la escada abaixo e matá-la. Num esforço para salvar a vida de Samantha, Paul implanta o cérebro de seu robô nela.

Pelo que pode ser visto pela sinopse, ele apresenta uma história legal e sai coisas clichês, principalmente nos anos 80. Craven fez muita coisa boa que para o grande publico foi uma desgraça e para os estúdios maiores ainda. Mas claro que agora, ou melhor, pouco tempo depois suas obras ganharam um status de Cult, o que ajudou a carreira de Craven decolar nos anos 90 e fazer uma nova guinada na sua carreira que foi “Pânico” e trouxe  um novo ar para o terror.

Nota: 

Baixe o filme com legenda Aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s