Terra dos Mortos (2005)

land-dead3

2005 / EUA, Canadá, França / 97 min / Direção: George A. Romero / Roteiro: George A. Romero / Produção: Mark Canton, Peter Grunwald, Bernie Goldmann; Neil Canton (Coprodutores); David Resnick, Silenn Thomas (Produtores Associados); Steve Barnett, Dennis E. Jones, Ryan Kavanaugh, Lynwood Spinks (Produtores Executivos) / Elenco: Simon Baker, John Leguizamo, Dennis Hopper, Asia Argento, Robert Joy, Eugene Clark

Acho que uma das obras que mais trás o verdadeiro pavor na humanidade em tempos atuais é “Terra dos Mortos“, explico mais para frente. George Romero como já tinha dito em outras críticas aqui no Terro Mania, sempre trabalhou com esse lance de usar o zumbi como uma metáfora para problemas atuais como preconceito, consumismo, militarização e etc. Coisa que está presente em suas obras que vai até para os famosos filmes de zumbis como para filmes que ele dirigiu como “Martin” que fala sobre a AIDS de um jeito interessante ou até “O Exercito do Extermínio” que trás esse pavor  do desconhecido.

O ultimo filme de Romero com temática de zumbis foi em 1985 com o “Dia dos Mortos“, ele só ia voltar a trabalhar com esse genero nesse filme. Mas ele não ficou parado! Ele trabalhou em filmes como “Dois Olhos Satânicos” no qual fez parceria com o Dario Argento, depois fez “A Máscara do Terror” que maioria acha um bomba, mas o filme não é de todo ruim. Mas graças ao sucesso de “Todo Mundo Quase Morto” e o remake de seu filme “Madrugada dos Mortos“, George Romero teve força para voltar a trabalhar com seus filmes de zumbis.

land-of-the-dead_cd514526

Então eis que em 2005 surge “Terra dos Mortos“, o filme apocalíptico de Romero. Uma coisa que você tem que perceber no universo de Romero é que todos os seus filmes são um universo só ou tentam ser. Então alguns filmes como o próprio “Dia dos Mortos” o mundo já está na merda total. E temos a evolução do zumbi e nesse filme, essa evolução continua. Os zumbis começam a ter um raciocínio  básico que é de sobrevivência. Isso já difere de outras obras como na série de TV e nos quadrinhos de Robert Kirkman com o “The Walking Dead“. Achei isso muito maneiro, porque além de tratar com outros assuntos sociais, os zumbis agora também estão colocando para foder os sobreviventes desse mundo.

Mas voltando o que tinha falado no começo da crítica, esse filme é bem contemporâneo. Principalmente se analisar a crise atual mundial, o xenofobismo, racismo, luta de classes e etc. O  filme tem em seu plot principal uma sociedade onde as pessoas mais ricas que podem pagar vivem no luxo enquanto os mais pobres vivem do jeito que pode. E os zumbis são os excluídos dessa sociedade. E a crítica que Romero coloca é que como os zumbis são os excluídos, uma hora essa exclusão vai virar raiva e assim é o que acontece. Cansados de serem jogados para trás e mal tratados, eles se organizam e vão buscar um tipo de vingança contra aquela sociedade. Podemos tirar uma lição desse filme se for pensar as causas do terrorismo, pessoas que moram a margem da sociedade e etc. Uma coisa muito atual que nunca saiu da realidade de ninguém, mas agora os gritos dos excluídos estão mais forte do que nunca.

land-of-the-dead-le-territoire-des-morts-2005-33-g

Com tudo isso a história fala  que os  mortos-vivos finalmente conseguiram dominar o planeta. Alguns dos poucos humanos que conseguiram sobreviver vivem agora numa cidade cercada por muros, que impedem a invasão e carnificina por parte dos zumbis. Enquanto as ruas da cidade são dominadas pelo caos e destruição, com seus moradores entregues a seus vícios, os mais ricos vivem isolados e distantes nos seus prédios muito bem protegidos, sendo todos comandados pelo milionário Kaufman (Dennis Hopper). A cidade é protegida por soldados e, periodicamente, o blindado “Dead Reckoning”  sai em excursões para a obtenção de suprimentos em cidades próximas. O problema começa quando, a certa altura, os mortos-vivos, antes completamente ignóbeis, começam a se organizar e a adquirir inteligência, tornando-se uma séria ameaça às frágeis defesas da cidade.

Assim quando Cholo (John Leguizamo) cansado de sofrer nas mãos de Kaufman sequestra o “Dead Reckoning”  para explodir a cidade, caso ele não consiga cinco milhões de dólares. Então cabe a Riley (Simon Baker) que construiu o veiculo ir atrás de Cholo e conseguir esse tanque de volta para que a cidade não seja destruída, o interessante é reviravolta que o  filme da. E a surpresa quando acontece o ataque e veem de quem menos se espera. Atual em? Um alerta talvez para a humanidade nos próximos anos.

screen-shot-2013-10-28-at-3-19-26-pm

Bom já confesso de cara que esse não é o melhor filme de Romero, nem de longe na verdade, mas é um filme muito bom e muito crítico. Prefiro dentro dessa safra nova de filmes dele o “Diário dos Mortos” que já foi resenha aqui no Terror Mania.  O que vale ressaltar também é a crítica logico que ele faz em seu filme, mas também a produção que está muito boa, os cenários, atores, maquiagem que está de primeira que conta com o parceiro de Romero para isso que é o Greg Nicotero, que agora está arrasando na direção com “The Walking Dead” e também a fotografia desse filme que está muito boa. Atualmente a situação de Romero com o cinema não está bem já que ele não consegue financiamento de estúdios para lançar suas obras. Mas enquanto isso não acontece, o jeito é rever seus filmes antigos que ainda continuam bem atuais e pelo andar da humanidade, sempre vão estar.

Nota: 

Baixe o filme com legenda aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s