O Lobisomem (1941)

wolf1

1941 / EUA / P&B / 70 min / Direção: Geroge Waggner / Roteiro: Curt Siodmak / Produção: George Waggner; Jack. J. Gross (Produtor Executivo – não creditado) / Elenco:Lon Chaney Jr., Claude Rains, Warren William, Evelyn Ankers

Confesso que “O Lobisomem” é o filme que menos gosto da linha clássica da Universal.  Acho a história muito batida e pouco trabalhada, além claro da história passar numa velocidade em que você não consegue sentir uma empatia por nada. Diferente por exemplo de “Frankenstein” onde a história também é rápida, mas conseguimos ter uma empatia pelos personagens e seus sofrimentos.

O filme saiu  em 1941 e foi escrito por Curt Siodmak, que escreveu vários roteiros para o genro de horror e ficção, além de ser produzido e dirigido por George Waggner. O filme se baseia na lenda clássica do Lobisomem. E uma curiosidade é que essa foi a segunda vez que um Lobisomem é usado em filmes, seis anos antes saiu pela Universal Studios mesmo  “Werewolf of London.” Mas muita coisa que saiu nessa produção de 1941, foi a regra básica para criar a mitologia do lobisomem nos cinemas, como a bala de prata, a lua cheia, a mordida como uma forma de transformação. E claro o lance da maldição que bem trabalhado vira uma coisa muito, mais muito bem feito. Caso é um dos meus filmes favoritos que é “O Lobisomem Americano em Londres” do John Landis.

the-wolfman-5

A história é focada em Larry Talbot (Lon Chaney Jr.) que volta para casa depois da morte do irmão. Ele também tem que enfrentar certas coisas como o seu pai Sir John Talbot (Claude Rains) e agora tem que também cuidar da propriedade da família. Pouco depois da sua chegada ele se interessa por uma garota local chamada Gwen Conliffe (Evelyn Ankers).

Assim ele não perde tempo e chama a mulher para sair no mesmo dia. Larry sai com Gwen e a amiga dela, Jenny (Fay Helm), e vão para um acampamento de ciganos. Jenny pede ao cigano Béla (Béla Lugosi) que lhe leia a mão. O cigano tem uma visão de um pentagrama na mão da garota e imediatamente pede que ela saia do acampamento. Enquanto esperavam por Jenny, Larry e Gwen conversam próximo à tenda. Eles ouvem um grito de Jenny e Larry corre até ela na mata e a vê sendo atacada por um lobo. Ele mata o animal com golpes de sua bengala, e acaba sendo mordido. Mais tarde a mãe de Béla, a idosa cigana Maleva(Maria Ouspenskaya), conta à Larry que seu filho era um lobisomem, e que ele está condenado a se transformar no monstro devido à mordida que sofreu.

the-wolfman-3

Todo esse embate no começo onde Larry realmente não acredita nisso e crê que matou um homem inocente é bem trabalhado. A cena aonde ele vai ao enterro de Béla é muito boa e você vê a dor do personagem. Mas rapidamente esse drama é cortado e não desenvolvido como se deve diferente da versão de 2010 que ganhou vários pontos interessantes dentro dessa contradição de ser um monstro e você não aceitar isso, mas também de não conseguir se livrar dela. Acho que essa é um dos raros casos que o “remake” é melhor que o original, mas assistam por titulo de curiosidade.

Nota: 

Baixe o filme com legenda aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s